Metodologia Hacker


Acreditamos em uma educação diferenciada, fora dos padrões considerados “normais”, na qual, os estudantes não são tratados como um número e sim como indivíduos pensantes e independentes intelectualmente, cada um com seus limites e sua forma de aprender, de maneira que nos adaptamos a eles para que se interessem e sintam pertencentes ao ambiente de estudo, achando significado para o conteúdo a ser estudado.

Estando cientes que os participantes não estão acostumados com essa independência, devido a metodologia a qual eles fazem parte e estão inseridos desde do ensino fundamental, portanto, nosso principal objetivo é auxiliá – los para que desenvolvam sua autonomia não só tecnológica, mas também pessoal, de modo que consigam ser críticos sobre sua realidade e serem protagonistas na sociedade em que estão inseridos.

Em 1946, o prof. Edgar Dale desenvolve a pirâmide do aprendizado, a partir de pesquisas sobre o índice de retenção da informação, ao usar diferentes métodos de aprendizagem, que confirma a maneira como decidimos trabalhar.

Objetivos metodológicos:

  • Desenvolver a cultura colaborativa em que todos os envolvidos compartilham e constroem conhecimentos;
  • Criar um espaço que propicie a criatividade, aprendizagem e interação;
  • Contribuir para a formação técnica inicial em informática de jovens que potencialmente no próximo ano serão alunos do Ensino Médio Técnico do IFSP Capivari;
  • Aproximar o IFSP Câmpus Capivari dos jovens pare que eles conheçam outras possibilidades de educação;
  • Contribuir para a formação técnica, humana e social dos jovens, ou seja, em sua completude;
  • Contribuir para a solução sustentável de problemas da comunidade local;
  • Disponibilizar virtualmente todo o processo de criação e execução do projeto para ser compartilhado;
  • Desenvolver com os jovens a autonomia, despertando nestes o protagonismo em todos os aspectos;
  • Favorecer um ambiente democrático em que seja respeitado e valorizado a individualidade e a coletividade;
  • Incentivar os jovens à autoeducação em que todos são responsáveis pela própria aprendizagem;
  • Criar vínculos entre todos os envolvidos que perpetue para além do projeto;

 

Augusto Melo, 20

aluno do IFSP- Capivari, no curso de ADS

(Analise e Desenvolvimento de Sistemas)

bolsista no projeto, ed. 2016